ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

A esgrima adaptada surgiu em 1953 e foi aplicada originalmente pelo médico alemão Ludwig Guttmann, como possibilidade de reabilitação. É considerada umas das modalidades mais tradicionais, pois é disputada desde a primeira edição dos Jogos Paralímpicos, em Roma 1960.

Destinada a atletas com deficiência motora como amputações, lesão medular ou paralisia cerebral. A disputa segue as regras da Federação Internacional de Esgrima (FIE), mas é administrada pelo Comitê Executivo de Esgrima do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). Em competição, as pistas medem 4m de comprimento por 1,5m de largura, e as cadeiras de rodas ficam fixas ao chão. Se um dos esgrimistas mover a cadeira, o combate é interrompido. Há duelos de florete, espada e sabre. Para cada prova há uma proteção específica para o competidor e para as cadeiras, além de regras para a pontuação ser validada.

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

Classificação

Os atletas são avaliados, principalmente, de acordo com a mobilidade do tronco. Eles podem ser classificados em três categorias: A, B e C, sendo a C a mais severa e, a A, a menos comprometida.

Categoria A: Atletas com mobilidade no tronco, amputados ou com limitação de movimentos.

Categoria B: Atletas com menor mobilidade no tronco e equilíbrio.

Categoria C: Atletas com tetraplegia, com comprometimento do movimento no tronco, mãos e braços.

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

DISPUTAS

Prova de florete: pontua quem tocar a ponta da lâmina no tronco do rival.

Prova de espada: pontua quem toca a ponta da arma em qualquer parte acima da cintura do rival.

Prova de sabre: qualquer toque com qualquer parte da lâmina acima do quadril do adversário vale ponto.

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS
ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS NA UMPM

A modalidade começou a ser desenvolvido na UMPM desde maio de 2017 e já conta com grandes resultados em competições nacionais. Nosso atual atleta que da Esgrima em Cadeira de Rodas é Derik Luis Burbella, atleta da Seleção Brasileira Paralímpica 2017-2020 de Esgrima em Cadeira de Rodas – Categoria A, e conquistou também o 1º lugar no Ranking Nacional de Esgrima em Cadeira de Rodas do Comitê Paralímpico Brasileiro de 2015 e 2016, categoria A – Sabre Masculino.

Pela UMPM, no ano de 2017, seguem as principais conquistas até o momento:

  • I Copa Brasil de esgrima em cadeira de rodas – (SP) 2017: Atleta Derik Luis Burbella- 11 lugar na Espada masculina A; 3 lugar no Sabre Masculino A.
  • II Copa Brasil de esgrima em cadeira de rodas – (SP) 2017: Atleta Derik Luis Burbella – 3 lugar no Sabre Masculino A; 2 lugar na Espada Masculino A.